Coxim, MS
17 de novembro de 2020
Plantão
67 9 9659 6042

PMA prende pescador com 31 kg de peixes no Rio Taquari em Coxim

Foto: PMA

Policiais Militares Ambientais de Coxim, que trabalham na vigilância de cardumes no posto da cachoeira das Palmeiras, no rio Taquari, prenderam na manhã desta terça-feira (17), um pescador por pesca predatória neste local cuja pesca é proibida, mesmo não sendo período de piracema. O infrator pescava na corredeira, denominada “Cachoeira das Palmeiras”, localizada a 20 km da cidade, quando foi surpreendido pela PMA, que havia se afastado do posto, por pouco tempo para monitorar um cardume em outro ponto.

O pescador já havia capturado 31 kg de pescado das espécies cachara e jaú, havendo exemplares de cachara abaixo da medida permitida, o que é crime mesmo com a pesca aberta, e o jaú também estava acima da medida permitida. O exemplar media 135 centímetros, quando o tamanho máximo de captura é de 125 centímetros para a espécie. O petrecho utilizado na pescaria não foi encontrado, mas normalmente os infratores usam tarrafa ou rede. O pescado foi apreendido.

O infrator de 47 anos, residente nas proximidades da cachoeira, no município de Coxim, ele recebeu voz de prisão e foi conduzido à delegacia de Polícia Civil da cidade, onde ele foi autuado em flagrante, por crime ambiental de pesca predatória e saiu depois de pagar fiança. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. Ele também foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 2.960,00.

ESTRATÉGIA DE FISCALIZAÇÃO

Durante o período de defeso, os peixes estão em grandes cardumes e tornam-se vulneráveis, especialmente nos obstáculos dos rios durante a subida, que são as cachoeiras e corredeiras. Como não há pescador nos rios, devido à proibição, a não ser os que vão se arriscar a praticar a pesca predatória, a fiscalização precisa ser efetiva nos cuidados com esses cardumes em subida para a reprodução, mantendo vigilância 24 horas, principalmente nas proximidades desses obstáculos.

A estratégia de fiscalização da PMA que tem dado certo em todos os anos e efetiva é esta de monitorar e cuidar os cardumes. Das três prisões realizadas até o momento, duas foram de pescadores pescando com tarrafas em cachoeiras, por Policiais dos postos montados para esta fiscalização especial.

Além das duas cachoeiras, onde ocorreram as prisões nos rios Amambai e Taquari, em vários pontos onde existem cachoeiras e grandes corredeiras foram montados postos fixos com policiais 24 horas, principalmente porque grande parte das pessoas que praticam este tipo de pesca predatória mora nas proximidades desses locais críticos, o que é um complicador que torna difícil a prisão.

print

Comments

comments