Coxim, MS
7 de dezembro de 2017
Plantão
67 9 9659 6042
Tribus Conveniência Nova logo

Assembleia gasta R$ 1,5 mil para trocar porta danificada em protesto

Porta danificada foi trocada hoje, na Assembleia Legislativa (Foto: Direto das Ruas)

A Assembleia Legislativa trocou hoje (07), a porta de entrada do local, que tinha sido danificada por um manifestante, no dia 28 de novembro, quando se votou a reforma da previdência. Foram gastos R$ 1.517,25 para instalar duas folhas de vidro temperados de 10mm, incluindo ainda os custos com o tapume, que estava provisório, e a sua devida instalação.

De acordo com o legislativo, anda será gasto mais R$ 614,12, para trocar outra folha de vidro que foi danificada e ainda será trocada. O 1° secretário da Assembleia, Zé Teixeira (DEM), tinha declarado que iria pagar os reparos e que o “ato de vandalismo era mais preocupante do que o valor da porta”.

Por ter danificado o local, o servidor público integrante do Sinted (Sindicato Municipal dos trabalhadores da Educação), de Pedro Gomes, foi preso no dia da votação da reforma. Ele pagou fiança e no mesmo dia a tarde, foi liberado, mas vai responder pelo ato de vandalismo.

Conforme o delegado que investiga o caso, Paulo Henrique Sá, da 3ª DP (Delegacia de Polícia) o suspeito foi autuado em flagrante por dano ao patrimônio público. A direção da Assembleia registrou o boletim de ocorrência e enviou as imagens da câmera de segurança, que mostram o momento que a porta foi danificada.

Assembleia gastou R$ 1,5 mil para troca e instalação da nova porta (Foto: Leonardo Rocha

Manifestação – No dia da votação da reforma, só puderam entrar cerca de 150 pessoas para acompanhar a sessão, no entanto os manifestantes que ficaram de fora, tentaram invadir o local, mesmo com todo aparato policial, de 220 homens, incluindo a tropa de choque.

Um grupo conseguiu furar o bloqueio e invadiu a entrada da Assembleia, sendo que um servidor se jogou contra uma das portas de entrada, danificado o local. Os demais seguiram e lotaram o plenário, mas mesmo com todos os protestos, o projeto da reforma foi aprovado por 13 votos a favor e sete contrários.

Imprimir

Comentários