Coxim, MS
21 de agosto de 2020
Plantão
67 9 9659 6042

PMA usa drone, GPS e imagens de satélites para autuar fazendeiro por desmatamento em Alcinópolis

Foto: PMA

Policiais Militares Ambientais de Costa Rica realizaram fiscalização ambiental no município de Alcinópolis e autuaram no final da manhã desta quinta-feira (20), um proprietário rural por realizar desmatamento ilegal. O infrator de 55 anos, residente no estado de São Paulo desmatou 74 hectares de uma área nativa remanescente de sua propriedade, sem a devida licença ambiental.

O desmate foi descoberto por técnica de superposição de imagem de satélite e a caracterização do uso atual do solo e aferição da área foram realizadas com uso de drone e GPS. O desmatamento ocorrera recentemente e a área já estava gradeada para o plantio de pastagem. A madeira proveniente da vegetação desmatada encontrava-se em leiras no local. As atividades foram interditadas.

O infrator foi autuado administrativamente e foi multado em R$ 74.000,00. Ele também responderá por crime ambiental, com pena de três a seis meses de detenção. O infrator foi notificado a apresentar um Plano de Recuperação da Área Degradada e Alterada (PRADA) junto ao órgão ambiental estadual.

ORIENTAÇÕES DA POLÍCIA MILITAR AMBIENTAL AOS PROPRIETÁRIOS RURAIS

A Polícia Militar Ambiental orienta às pessoas que irão realizar quaisquer tipos de atividades envolvendo intervenção ambiental, procure o órgão ambiental, para a verificação da necessidade de licença. Com as tecnologias atuais, ninguém consegue manter escondida qualquer infração, especialmente, de desmatamento, em razão da disponibilidade de imagens de satélites. Dessa forma, é melhor realizar a atividade de forma legal, pois, conseguirá esconder por pouco tempo a infração.

Desmatamentos estão sendo levantados pela PMA, quando estão ocorrendo, ou em poucos dias depois, com o uso de imagens de satélites. Desmatamentos ocorridos em anos anteriores também estão sendo levantados e as pessoas autuadas administrativamente (multa), respondendo pelo crime e ainda estão tendo que reparar os danos.

print

Comments

comments