Coxim, MS
24 de março de 2020
Plantão
67 9 9659 6042

Velocidade do vírus em MS: veja os números

Os boletins epidemiológicos divulgados diariamente pelas autoridades de saúde são material essencial na hora de conhecer a velocidade da transmissão do coronavírus e preparar a logística ideal, ou pelo menos a possível, para enfrentar a doença. O consenso que se criou é quanto mais testes forem realizados, melhor poderá ser o desenho das ações sanitárias, preventivas ou de tratamento.

Em Mato Grosso do Sul, na análise dos boletins que a Secretaria de Saúde do Estado divulga diariamente surpreende a velocidade do contágio.  Em um período de 10 dias deste mês, o Estado saltou de 2 casos, os primeiros anunciados, para 21, confirmados no domingo, que continuou na segunda. O dia com maior notificações foi 19 de março, com 8 casos.

De domingo para segunda-feira não houve aumento de casos confirmados, o que não pode ser considerado estagnação, já que há previsão de um pico nacional da Covid-19 para o período de 6 a 20 de abril, estimado a partir da curva de crescimento no País. A Secretaria explica que o Estado ainda não estaria em transmissão comunitária, por isto não traçou uma projeção própria de crescimento, mas segue o padrão que o Ministério da Saúde passou a adotar, quando já não se identifica mais a origem de cada novo contágio, diante do crescimento exponencial.

O que chama atenção, é que somente três dos 21 casos são de pessoas que viajaram à Europa, todos os demais se tratam de casos de transmissão local, ou seja, dentro do Estado ou em viagens dentro do País.

No boletim de 3 de março, por exemplo, a Secretaria revelou que monitorava 21 pessoas com suspeita da doença, quando somente uma delas não tinha viajado ao exterior. Com o passar dos dias, a maioria dos casos ia sendo descartado, mas também surgiam novos, em um crescimento expressivo, sendo 33 no dia 12 de março, saltando para 88 no dia 16, 171 em 19, 209 no dia 20, 235 no dia 21, até chegar ontem a 272 casos notificados, ou seja, sendo investigados. Só são notificados casos de problemas respiratórios agudos. Neste grupo estão 70 que exigem maior atenção, distribuídos em 17 cidades.

Campo Grande é a cidade com maior número de casos, até por ser a que detém a maior população. São 19 dos 21 confirmados, havendo um em Ponta Porã e outro em Sidrolândia. Os infectados pelo coronavírus são 12 homens e 9 mulheres.

print

Comments

comments