Coxim, MS
18 de outubro de 2019
Plantão
67 9 9659 6042

Em MS, homens ganham R$ 579 a mais que mulheres

Remuneração das mulheres é menor que a dos homens – Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

O rendimento médio mensal dos homens em Mato Grosso do Sul foi 30,37% maior que o das mulheres. Enquanto homens ganharam em média R$ 2.485,00 em 2018, as mulheres sul-mato-grossenses tiveram rendimento mensal de R$ 1.906,00. As informações fazem parte do indicador Rendimento de Todas as Fontes, da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), realizada em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A pesquisa aponta que o rendimento médio real de todas as fontes da população teve crescimento de 13% em Mato Grosso do Sul nos últimos seis anos. Em 2012, o ganho era de R$ 1.998, enquanto em 2018 o valor ficou R$ 260 maior, alcançando R$ 2.258. Entre as grandes regiões do País, o rendimento médio mensal real de todas as fontes apresentou variações: o Sudeste registrou o maior valor (R$ 2.563,00), seguido pelo Centro-Oeste (R$ 2.440,00) e Sul (R$ 2.401,00), enquanto o menor foi verificado no Nordeste (R$ 1.412,00).

Os dados da Pnad Contínua apontam ainda que, em Mato Grosso do Sul, o ganho médio mensal dos aposentados aumentou 21,5% em um ano. Em 2017, o rendimento médio mensal real proveniente da aposentadoria era de R$ 1.808,00, enquanto em 2018 passou para R$ 2.198,00. Em 2012, os aposentados e pensionistas recebiam, em média, R$ 1.594,00.

Entre os componentes dos ganhos de outras fontes, o predomínio foi da categoria aposentadoria ou pensão, que teve frequência de 14,6% na população residente com rendimento. Nas demais categorias, os porcentuais foram de 7,7% (em “outros rendimentos”, que inclui seguro-desemprego, programas de transferência de renda do governo, rendimentos de poupança, etc.); 2,5% (pensão alimentícia, doação ou mesada de não morador) e 2,1% (aluguel e arrendamento). De 2012 a 2018, observou-se crescimento das estimativas de aposentadoria e pensão e redução nas de outros ganhos.

RENDIMENTOS

Em Mato Grosso do Sul, 62,7% da população tem rendimentos. O ganho médio mensal real de todos os trabalhos aumentou em 2018 (R$ 2.239,00), o maior valor da série se comparado a 2012 (R$ 2.107,00), com variação de 6,2%. Um aumento de 0,8% em relação a 2017 e de 1,1% em relação a 2012.

A pesquisa mostra que o rendimento médio mensal de 1% da população com maiores rendimentos em Mato Grosso do Sul era de R$ 22.188,00, o que corresponde a 23,6 vezes o rendimento dos 50% da população com os menores ganhos (R$ 939,20), em 2018.

O índice de Gini é um indicador que mede distribuição, concentração e desigualdade econômica e varia de 0 (perfeita igualdade) até 1 (máxima concentração e desigualdade). Em Mato Grosso do Sul, o índice aumentou de 2017 para 2018 (de 0,441 para 0,460). As regiões Sul (0,448) e Centro-Oeste (0,486) apresentaram os menores índices e o Nordeste alcançou 0,520. De 2017 para 2018, no Norte, Sudeste e Sul, esse indicador subiu, enquanto no Nordeste e Centro-Oeste houve retração.

BOLSA FAMÍLIA

Mato Grosso do Sul tem o sétimo menor índice de beneficiários do Bolsa Família. No Estado, 8,1% dos domicílios recebiam, em 2018, dinheiro referente ao programa. O maior índice nacional é encontrado no Maranhão (37,4%), e o menor, em Santa Catarina (2,5%).

print

Comments

comments