Coxim, MS
13 de fevereiro de 2019
Plantão
67 9 9659 6042

Capital será sede de reunião da Sociedade Brasileira de Progresso da Ciência

Foto: Reprodução / Dourados News

 

Entre 21 e 27 de julho deste ano, Campo Grande será a Capital Brasileira da Ciência e Tecnologia, transformando-se em sede da 71ª Reunião da SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência). Confirmado em 2018, o evento foi lançado oficialmente na manhã desta quarta-feira (13) na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), reunindo autoridades e representantes de parceiros do encontro. Paralelamente, a universidade deve sediar a edição de 2019 do Ciberjor, evento anual da UFMS que discute os avanços tecnológicos no Jornalismo.

A realização da Reunião tem a parceria do Governo do Estado e da Prefeitura de Campo Grande, além de instituições públicas e privadas de ensino e organizações como a Fundação Oswaldo Cruz, Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), CNI (Confederação Nacional da Indústria) e Sebrae-MS (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado).

“O mais importante é atrairmos jovens, estudantes, para vivenciarem os debates, os trabalhos científicos, com tudo gratuito, exceto os minicursos, onde há uma cobrança”, afirmou o reitor da UFMS, Marcelo Turine, que estima a presença de 15 mil pessoas durante todo o evento, que terá o tema “Ciência e Inovação nas Fronteiras da Bioeconomia, da Diversidade e do Desenvolvimento Social”.

Representando o governador Reinaldo Azambuja no evento de lançamento da 71ª Reunião da SBPC, o secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, considerou a vinda do evento para a Capital “um marco para Mato Grosso do Sul. A SPBC reúne toda a comunidade científica ao seu redor e lidera um processo de desenvolvimento de políticas de Ciência e Tecnologia. Trazer para cá este encontro anual da SBPC, com o tema que tem, tratando da bioeconomia, da diversidade e do desenvolvimento social são realmente importantes”.

Riedel avaliou que Mato Grosso do Sul está bem estruturado, tanto no campo público como privado, no setor de pesquisa e inovação, o qual deve ser impulsionado com a Reunião e deixará claro que os setores devem ser prioridade para os administradores públicos.

“Eles têm de ser prioritários, pois você não consegue desenvolver uma sociedade sem estar calçado no desenvolvimento da Ciência e da Tecnologia. Há uma série de desafios, como a democratização do conhecimento, que precisam ser superados. E é o nosso objetivo aproximar o setor privado dos centros públicos de pesquisa. Já adjudamos a promover isso e o evento da SBPC vai ajudar a alavancar o processo”, destacou o secretário, frisando as razões que levam o governo a apoiar o em contro. “O Estado vai se beneficiar muito pelo desenvolvimento que este encontro trará”.

Diretor-presidente da Fertel (Fundação Luiz Chagas de Rádio e TV Educativa de Mato Grosso do Sul) e convidado a participar do evento, Bosco Martins ressaltou as parcerias com a UFMS que visam a dar visibilidade e ajudar a desenvolver ações da instituição de ensino.

“É com muita alegria que vemos a UFMS vencer outras três grandes universidades e conseguir realizar este evento, e com honra recebemos esta reunião no Estado. O governador Reinaldo Azambuja e o secretário Riedel sabem da importância de se investir em Ciência e Tecnologia e da importância de se ter este evento aqui. Prova disso é que a própria Fertel investe pesado em tecnologia e, depois de iniciar a migração do sinal digital da TVE Cultura, vai digilizar o sinal da Educativa 104.7 FM nos 25 anos da emissora”, exemplificou.

Em julho, durante a 71ª Reunião da SBPC, também deve ser realizado o Ciberjor da UFMS, do qual Bosco deve participar para destacar a importância do ciberjornalismo. “Essas reuniões são marcos históricos e põem Mato Grosso do Sul como protagonista”.

Momento

“As 70 reuniões da SBPC até aqui percorreram o Brasil inteiro. No ano passado foi em Maceió (AL). Mas nessa primeira vez em Mato Grosso do Sul vemos uma mobilização grande no Estado, o que é importante porque mostra que temos um grande local para fazermos a discussão sobre a importância da Ciência e da Educação do país”, afirmou Ildeu de Castro Moreira, presidente da SBPC.

Ivo Leite Filho, coordenador da 71ª Reunião, destacou os esforços “em um trabalho para podermos dizer que, ao longo de 30 anos de pleitos, conseguimos trazer uma reunião da SBPC para Campo Grande”. O evento ocorre justamente em um momento crucial para o setor de Ciência e Tecnologia, no qual, conforme Moreira, luta-se para recuperar recursos orçamentários e, desta forma, “dar uma organização maior ao Sistema Nacional”.

Turine reiterou o “ato de coragem de todo o time da UFMS e dos colaboradores, sem os quais seria impossível trazer o evento para cá”. Ele também alertou para cortes federais no setor e nas agências de fomento nos últimos três anos, colocando como desafio “mostrar que a Ciência e a Tecnologia são investimentos e não gastos. É momento de Mato Grosso do Sul chacoalhar o Brasil junto aos ministros da Educação (Ricardo Vélez Rodrigues) e da Ciência e Tecnologia (Marcos Pontes) para recuperarmos esses investimentos”.

print

Comments

comments